sábado

Paciência

             -Bom dia, eu poderia falar com o senhor Geraldo da Silva?
            -É ele mesmo. Quem é?
            -Meu nome é Janaína, do banco...
            -Ah, não quero saber de cartão não.
            -Não senhor, eu não vim tratar de cartão.
            -Também não quero saber de conta pra pagar, minha senhora. Hoje não.
            -Não senhor, não é pra falar de conta não.
            -Ah minha filha, você acha que tô pra escutar de taxas?
            -Taxas? Que taxas? Não vim falar de taxas não.
            -Juros então, é isso? Já sei que estão altos, mulher.
            -Não é sobre juros não senhor.
            -Escuta aqui, já sei que minha conta tá negativa. Devo não nego, pagarei quando puder.
            -Mas senhor...
            -Também já sei que meu nome tá bem sujo, mas o que é que posso fazer? Eu trabalho feito condenado, é só o dinheiro que não vem.
            -Não senhor, não é sobre seu nome estar sujo ou não...
            -Cheque sem fundo? Só pode ser isso. Eu sabia que iam me ligar cedo ou tarde, mas como já disse, hoje não quero saber. Depois eu vejo como que vou acertar isso.
            -Não é sobre isso não, senhor. É que...
            -Ah já sei, o banco sofreu um assalto, é isso, né? Escuta aqui, dona... dona...
            -Janaína.
            -Isso mesmo. Dona Janaína, eu não tinha nada na conta não. Pouco me importa se sofreram um assalto ou deixaram de sofrer. Não tem como perder o que não tinha, né?
            -Meu senhor...
            -A menos que tenham apagado tudo do banco. Aí sim saio no lucro. Vai que perderam todos os dados que falavam das minhas dívidas...
            -Senhor! O banco é muito seguro, não houve assalto coisa nenhuma!
            -Ah, então descobriram que a nota que eu coloquei aí era falsa, foi isso? A senhora vai me perdoar, mas eu não tenho culpa se me pagam com nota falsa!
            -Nota falsa? Não é nada disso que quero falar!
            -Então vai fazer propaganda de algo? Escuta aqui dona... dona...
            -Janaína!!
            -Isso aí, dona Janaína. Se num for de graça, não dá pra mim. Tô sem grana, mulher.
            -Não vim fazer propaganda não, senhor!
            -Olha aqui moça, não tô com tempo de escutar nada de banco hoje, tá? A senhora vai me dar licença que eu preciso trabalhar pra ver se ganho algum dinheiro.
            -Mas senhor....— ele desliga o telefone
            -Eu te disse, Mônica! Eu te disse que essa ideia de informar que o cliente ganhou um prêmio por telefone não ia dar certo!
            -Por quê?
            -O moço num quis nem saber.
            -Mas Janaína, ele ia ganhar cinquenta mil reais!
            -Pois é, num quis saber.
            -Ah, então liga pro que ficou em segundo lugar aí...
            -Tá. Mas da próxima vez, melhor mandar alguém ir lá pra avisar, né?
            -É, pode deixar que da próxima vez a gente manda.

            Lavínia Rocha Ferreira. - publicado no jornal "Boca no Trombone" (Trabalho do Colégio Santo Antônio)

Lembranças...

 Eu estava aqui me lembrando de todas as escolas que fui (para falar do livro) que tão bem me receberam! Os alunos são umas gracinhas fazem perguntas super interessantes (e às vezes me deixam na saia justa)! Então, decidi invadir o computador dos meus pais para pegar as fotos de todas os lugares que fui!

1º lugar: Colégio Tiradentes Unidade Minas Caixa (7º ano leu o livro)





2º lugar: Colégio Santo Antônio ("Relançamento" do livro)



3º lugar: Escola Estadual Celmar Botelho Duarte (7º ano leu o livro)

    
4º lugar: Colégio Laíse Coelho (5º ano leu o livro)

 

5º lugar: Colégio Espanhol Santa Maria Cidade Nova (semana do livro)




6º lugar: Faculdade Pitágoras (Bate-papo com os alunos do curso de letras)




7º lugar: Escola Sesi Newton Antônio da Silva Pereira (ESNASP) - (7º ano leu o livro)




                                           
8º lugar: Instituto Educacional Manoel Pinheiro (IEMP) - (7º ano leu o livro)




9º lugar: IEMP novamente para conhecer a escritora Paula Pimenta



 O meu muito obrigada à todos esse lugares! Adorei mesmo estar com vocês e me diverti bastante!
Un gran besito,
La española.

Críticas do livro "Um amor em Barcelona" - Colégio Santo Antônio

                  Olá queridos leitores! Bem, o sexto ano do meu colégio adotou "Um amor em Barcelona" e tiveram que fazer um trabalho cuja tarefa era a de me mandar um e_mail me contando o que acharam do livro. Então, resolvi compartilhar com vocês o que esses fofos me escreveram:


Querida Lavinia, 
Td bem c vc...Bom,esse email é pra faer 1 comentario sobre seu livro.
O livro é divertido,mt emocionante e mt bomm.Deixou uo gostinho de qro +.
Mais tambem temos uma critica,o love da Isa e do Be,vai rapido d+.
No primero eles mau se conhecem,no segunto tão namo,no tercero eles se separam,
e quarto eles vivem FOREVER.(Os numeros são relativos aos encontros)
Apesar disso nos s2 o final,tem várias coincidencias.....
Realmente SURPREENDENTE...Esperamos que a saga de Isabela venha!!!!!
XOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXOXO

De suas leitoras
Laiz E, Laura G, Luisa P, Nahara F e Sofia M.

Ooooooooiiiiiieeeee Lavini, td bem?

Nós achamos o seu livro ótimo, um romance e tanto, uma história D+ !!! Vc escreve muito bem e tem ótimas idéias. Devia escrever + livros. Adoramos as personagens, são interessantes e engraçados :-D. Enfim, quando o próximo livro sair, traga o mais rápido que puder.

                      BJUSSS !!!

Lucas Barroso
Pedro Henrique Lee
Wendel


Oieeee! Td bem com vc Lavini?
ADoRaMoS o seu livro! Tah td mundo falando q é mt bom. A história é mt interessante, pq nos sentimos vivendo  problema  da Isabela, principalmente na parte q o pai a proíbe de namorar c/ o menino, pq nossos pais tb ñ nos deixam fazer um tanto de coisas.
Mas a melhor parte da história é qndo Isabela vai atrás do garoto e consegue achar ele mesmo c/ tntos problemas! Muuuuuuuito legal!!!  O final foi D+!  pq a Isabela consegue comemorar 2 anos de namoro.
Tamos esperando um novo livro
Parábens pelo livro,
Bernardo Reis
Bernardo Leite
Pedro
Luiz Gustavo
Lucca
Da 6º E

E aí Lavínia, blz? 


Seu livro é mto massa!!! Achei o livro mto criativo pá uma garota da sua idade.Quando eu tivé a sua keru fazer um livro dessa catiguria. XD

Enfim, gostamos mto do seu livro :-), parabens por tudo! Continue assim q tu será uma grande escritora.

 Abss de LUCA,GUILHERME,BERNARDO e MATHEUS

Lavínia,
Nós da 6ª F AdOrAmOs seu livro!! Ele é D+!
O livro nos prendeu até o fim!!Ele é ingraçado e surprententi
Comcerteza vc é  uma ótima escritora,tomara q vc escreva mtos livros ( vamos ler todos)
Amamos principalmente o final romântico...
Té+
Bjuks
Clara, Artur, Tiago campos e Thiago Goulart


OLÁ Lavínia blz?
Somos da 6 série do CSA e gostamos muito do seu livro. O livro é D+!!!!!!!!!!!!!!

O livro fala sobre uma história super D+ sobre a Isabela.
Crie um outro livro logo, pooooooooor faoooooooor. Ah e quando criar nos avise! 
Abraços dos seus amigos João Mauro, João Pedro, Lucas, Matheus José e Thiago.


Lavi,

Te jurooo q amei o seu livro pq a gente tah vivenu a fase Teen e é normal nois fica sofrendo por love!!
Vc bein q podia faze a part 2 desse amorzinho d vera,nehh???!!
To mega riosa pra saber + desse namorico em Barcelona kkkk...

Nois chora mt p causa desses lovezinhos q existe!!rsrsrsrs
Bjokas
d 5 garotinhas xonadas = a vc e Briana !!!
kkkkkkkk..

Anna Laura,Camila,Julia,Jade,Yasmin 6 série E

6ªD
Bruna
Gabriela
Helena
Leticia
Melissa.

Laviih,
Td bem com vc? Gostamos mtoo do seu livro! :]
Ficamos mtoo inspiradas,e achamos ele d+. 8)
Adoramos livros de românce com um pouco de comedia! :-)
Vc acredita que até planejamos a nossa viagem a Barcelona! Hehehehe!!! ;-)
Ficamos com uma enorme vontade de escrever um livro. E tb achamos o Eduardo meio LeRDo!!!!! Rsrsrsrs!!!!
Aqui,pq vc ñ escreve outro livro??? Uma continuação???Seria bem legaaallll!!!!! :D

Lavinia ,
Sou Leonardo da 6 serie D.Adorei seu livro sobre a Isabela e sua vida em Barcelona.Adorei tambem, seu jeito de escrever.Espero que voce esteja planejando outro livro...
Se for publicar algum outro livro ME AVISE POR FAVOR!!! 
 Abracoes do seu amigo Leo

cooooooooléé Lavínia,nó lemos o seu livro "um amor em barcelona", é, gostamos muito veey! Sabe, acho q de vez enquando eu preciso de um closet pra me esconder hahaha
eu tbm qria ter um amr em barcelona neh hsuahsua <3
Nuuusss e o anjinho hein?? dorei essa parte !
Lavi vooc é D+ ook ?!?
Vc eh muito criativa e aposto q quando lançar novos livros vc vai fazer mtu sucesso ! ;D
Bjuuus
Biaah, Maaria, Laara, Debs e Milla ! s2

Eiiiiiiiiiiiiiiiiiiii Lavinia,
blz????
Achamos seu livro D+!!!!!!!!!!!!!!!
Mó facil d intendê,e MuuuUuuuitO engraçado,pq temos um colega q se chama Bernardo,q nem o do livro.Haí,quando a prof. tava lenu o livro,todo mundo começô a rir dele,qui furada,né?!!!!!!!!!KKkkKKkkKKkkKKkkKKkkKk!!!
Vc é muito criativa,continue assim!Adoramos seu trabalho!!!!!
                 
      Mt sucesso..................... 
   Um grande abraço 
Clara,Clarice,Colyana,Laura,Maria Cecilia e Maria 
6ªD

Oiiiiiis, 
          td boum c/ vc ???????          
          Nós adoramuuuuuussss seu livro, ele é muuuuuuito d+ , criativo, divertido,super interessante e dá um gostinho de quero +!!!!!!! O Bernardo e o Eduardo existem mesmo??? Pq eles parecem ser lindiiiinhos(gatiiiiiiinhos)!!!!!!!!
Gastamus quase 3 aulas lendu seu livro!!!!!!! Mais valeuuuuu muito a pena... já entrou para a nossa lista de melhores do ano...
E a cada palavra do livro, era como se a gente tivesse vivendo ele, parecia uma TV na nossa cabeça, mto bom mesmo, vamos até comprar um para lermuuus d novo. E a Briana, ela ficou mais legal depois q vcs ficaram amigas????rsrsrsrsrsrsrsrsrs
 Estamos esperando, ansiosas por um... "Um Amor em Barcelona 2"!!!!!!      
100bjusssssssss  e 1000 abraços!!!!!!! 
                             Alice, Clarissa, Gabriela Y., Fernanda e Gabriela M.  Colegio Santo Antônio 6- E !!!!

Lavínia,

A gente gostou mtoo do seu livro,não sabemos de onde vc tirou tanta criatividade para escrever!! 
A história de amor entre Briana e Eduardo,Bernardo e Isabela ficou mto legal!Vc teve dificuldade para escrever?Vc sempre quis ser escritora?Espere q escreva outros livros!!
Vc é D+
Abraços
Felipe M.
Felipe N.
João Vitor
Larissa 6a C

Lavínia
Td bem com vc?Qual foi sua sensação de seu livro ser indicado  para um trabalho para a 6 Série?Escritora reconhecida hein??!!
Só n gstei mt do livro pk ele é + pro público feminino,pk tem partes
melosas,assim.+ tirando isso o livro é bom.Que outras histórias vc
 já escreveu?Continue escrevendo para qndo crescer se tornar uma
 grande escritora.
Um abraço,
 Matheus França_32
 Guilherme Rodrigues_16
 Luiz Gustavo_26
 Vinícius Fonseca_40

Oiiii, Lavi!! ;D
Gostamos MUUUITO do seu livro ''Amor em Barcelona'' S2 !!
Tipo assim, no segundo dia que Briana e Eduardo se conheceram, já davam um montão de bjs :}
Vc escolheu um ótimo cenário pro seu livro... BARCELONA!!!!
Tah, gostamos MUUUITO do seu livro.
         Rafaella
         Ana Carolina
         Henrique
         Rafael
           Sexta Série C



Bem, eu respondi a todas as mensagens e se algum dos alunos não tiver recebido a resposta, me fale!
Un beso,
La española encantada con los alumnos del Colegio!

quarta-feira

Apaixonada por sua terra


            Brasileiro tem sim o seu jeitinho especial, isso é indiscutível.
            Esses dias, fui ao centro algumas vezes e andei observando as pessoas mais do que o normal. Um sorrisinho ali, uma informação dada com um bom-humor lá ou um “olá, tudo bem?” cá. Não importava se era muito cedo e a pessoa estava começando um longo dia de trabalho, a disposição estava em cada rosto que via na cidade, eles estão sempre a sorrir e prontos para ajudar!
            Fui em lojas, conversei sobre a novela com a vendedora, descobri de onde ela era (o sotaque era diferente), fui recebida com um sorriso pela moça da padaria que, além disso, me cumprimentou de forma super educada (minha mãe achou que nos conhecíamos).
            Fora a mania que temos de mexer com os bebês que encontramos na rua. Fazemos caretas, distribuímos sorrisos, elogiamos as roupinhas, mandamos beijinhos, fazemos cócegas. E tudo isso, mesmo que não conheçamos seus pais.
            E brasileiro não pode estar esperando por algo (seja em uma fila, no ponto de ônibus ou por uma consulta médica) que logo arruma conversa com a pessoa ao lado. Tudo é motivo para iniciar um papo.
            E somos solidários. Nos oferecemos para segurar as sacolas pesadas do outro dentro de um ônibus, cedemos o lugar em um transporte público mesmo que não seja reservado, estamos sempre prontos a pegar qualquer objeto que o outro tenha deixado cair ou ajudar alguém a procurar certo lugar que precisa ir.
            Isso pode parecer normal para quem vive aqui, mas quem já esteve fora nota que estrangeiros não são tão calorosos como as pessoas do Brasil e nós estamos sempre a escutar-lhes falando muito bem do nosso país.
            Uma vez num supermercado, fui abordada por uma espanhola que, curiosa, quis saber onde tinha conseguido esmalte de unha amarelo (alegou nunca ter visto igual). “Não é daqui” – respondo – “trouxe do Brasil”. Logo ela abre um sorriso e diz: “claro, brasileiras têm a alegria no corpo!”.
            A todo momento escuto reclamações. Política, perigos, saúde precária, pobreza... Problemas? Temos! E mesmo assim somos conhecidos como um país de muita alegria! Isso é inegável. A começar pela maravilhosa bandeira que temos, com cores vivas e chamativas! Somos sim, habitantes de um lugar muito feliz e caloroso!
            Mesmo vendo países de primeiro mundo com tudo de excelente qualidade, tenho que confessar que não trocaria o meu Brasil por nenhum outro lugar do mundo!
            Cega demais para todos os pontos negativos? Não, talvez só uma adolescente nacionalista apaixonada por sua terra que não deixa a esperança morrer jamais!

Lavínia Rocha Ferreira. - publicado no jornal "Boca no Trombone" (trabalho do Colégio Santo Antônio).

terça-feira

Um ano!!

WHAT !? É meus querido... estamos completando UM ANO!!! 12 meses, 365 dias, 8760 horas... é tempo demais que eu e a garota de Nova York temos mostrado virtualmente nossas ideias maluquinhas...
Parece que foi antes de ontem que eu recebi aquele e_mail dela me dando opções de nomes para o nosso cantinho na Internet (para ler a postagem clique aqui)!
E eu ainda me lembro de fazer o post parabenizando por um mês... hahaha.
Enfim, queridos leitores, eu só vim desejar um feliz aniversário de um aninho (o primeiro de muitos, eu espero) ao nosso querido Diários da Ilusão.
 E como eu mesma disse nessa postagem, fico a imaginar o futuro com boas recordações dessa época e a imaginar as minhas risadas histéricas ao ler o que eu costumava escrever...
E muito, muito, muito, muito obrigada Marie, por estar comigo no blog há um ano! (Sinto que Diários nos deixa cada vez mais unidas)!

Un gran besito (especial para Marie que hace un año conmigo)
La española.

sábado

No frigir dos ovos, a conversa rende mais do que o esperado...!

Olá, queridos leitores!!! Mamis recebeu um e_mail que eu quase chorei de rir! Gente, não dá pra imaginar que na nossa amadíssima língua portuguesa existam tantas expressões! E melhor: só sobre o quesito "Alimentar". Como assim!?

LEIAM O TEXTO A SEGUIR, SUPER LEGAL!!

Pergunta:

Alguém sabe me explicar, num português claro e direto, sem figuras de linguagem, o que quer dizer a expressão "no frigir dos ovos"?


Resposta:

Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa.


E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas.



Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.



Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos.



Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.



Há também aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese.. etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou.



O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente.



Por outro lado se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco...



A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois quando se junta a fome com a vontade de comer as coisas mudam da água pro vinho.



Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que "no frigir dos ovos" a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda.



Entendeu o que significa “no frigir dos ovos”?

Infelizmente, não está no e_mail o (a) autor (a) desse divertidíssimo texto, mas palmas para ele (a), não é mesmo?

Un gran besito,
La española que se está riendo hasta ahora, con este texto!



domingo

What Would Jane Austen Do?

Finalmente, 12 de junho (clique aqui para ler o post sobre o Valentine's Day). Então você afirma com absoluta certeza: "ela tem um namorado!". Bem, não tecnicamente. Embora eu mantenha relacionamentos estáveis com... meus livros. Não, você não leu errado. Os livros são meus namorados. Nunca me magoaram, sempre surpreendem, me acompanham, me fazem rir, chorar e suspirar. Não têm braços para envolverem meus ombros ou  palavras amáveis a dizer. Embora o silêncio de todas as suas páginas, por vezes, seja uma declaração de amor.
Mas nada disso vem ao caso. Na verdade, costumo dizer que hoje é o dia de Jane Austen (nascida em 1775, foi uma das escritoras mais influentes de todos os tempos, criticando a sociedade inglesa da época, principalmente as restrições impostas às mulheres): nunca se casou, apesar de todas as suas histórias envolverem o matrimônio, e tornou-se ícone feminino. Portanto, essa é uma daquelas datas em que eu abro Orgulho e Preconceito (e eu que não gostava de um dos meus livros preferidos, no começo!) em uma página qualquer e penso, repenso, sonho, idealizo e pergunto por onde anda meu Mr. Darcy, porque TÁ DIFÍCIL, cara.
Cavalheiros, onde estão vocês? Porque vou te contar, viu! Ou eu não faço o tipo dos gentlemans ou eles moram muito longe da minha humilde residência. E não me refiro aos homens (mas se a carapuça serve...). Falo sobre os ga-ro-tos. Sim, os pirralhos da minha idade. Onde foram parar os rapazes gentis e românticos dos tempos das minhas avós? Então eu penso nas histórias da Vó Ina. "Ah, quando eu era moça e precisava pegar o bonde, me lembro que os moços ficavam loucos quando as meninas levantava a barra do vestido para mostrar um pedaço das pernas!". E tem gente que ainda me xinga só por eu dizer que nasci na época errada. Arrrgh! Nestes nossos tempos - eu não diria "liberais", pois seria hipocrisia. Talvez "desregrados" demais - a juventude quer "ficar". Às vezes ouço uns colegas se vangloriarem, dizendo que "pegaram" fulaninha na festa tal, beberam não-sei-o-quê e ficaram de ressaca. Mas dá é vontade de soltar um palavrão! Meu Deus, moleque, você acabou de largar as fraldas, não tem sequer dezesseis anos! Sem contar que um par de pernas à mostra mais atrai a atenção deles que um sorriso bonito. As garotas também são assim, por vezes. Mas nada que diminua minha frustração em relação a esses candidatos a seres do sexo masculino (projetos que um dia serão considerados "homens").
Todavia, eu continuo pensando e deixando minha mente voar - o que o pai dos meus filhos está fazendo agora? Conversei sobre isso com minha mãe num dia desses. E ri, brincando ao dizer que ele estaria assistindo ...E O Vento Levou. É claro, óbvio e evidente que empreguei certa ironia em minha voz, até porque eu mesma sei que essa hipótese é meio... hm... impossível. Minha mãe soltou uma gargalhada e disse "sonha!". Quando minha mãe diz "sonha", é sinal de que as coisas estão muito, mas MUITO feias.
Há algumas semanas atrás, estava na arquibancada do ginásio da minha escola com uma amiga, durante o jogo de futebol feminino. Ela estava com o pé machucado e eu... Bem... Educação física não é nem de longe minha aula preferida e... Tá bom, vá lá, não era minha intenção mentir, mas foi necessário. Enfim. Nós conversávamos e observávamos o jogo dos garotos quando eu comentei que nunca teria um príncipe para um baile de debutantes. Júlia respondeu, entusiasmada e ainda com naturalidade, mais ou menos assim: "Mari, eu acho que você vai encontrar o amor da sua vida em uma livraria. Você vive enfiada nos livros. Você vai pegar um livro e aí ele vai aparecer, e vai esbarrar a mão dele na sua mão. Vocês vão ficar com vergonha, mas ele vai te entregar o tal livro e te convidar pra tomar um café. Tcharan!" Ela praticamente encenou meu possível futuro encontro. A essa altura, eu já me imaginava dançando com ele em meio aos livros, alguma música da Norah Jones saída sabe-se-lá-de-onde (já mencionei que pretendo me casar ao som de Norah Jones?)
Isso me leva a pensar: o que Jane faria nesse mundo parvo, em que suas opções mais felizes são: 1) sonhar 2) imaginar e 3) rir de si mesma por todas essas besteiras? Santa Austen, dê um jeito nesses caras!

P.S.: Ju, diva, graças à nossa conversa naquela aula de edução física, toda vez que vou à alguma livraria, me encosto com algum livro junto a uma estante qualquer e fico esperando meu gentleman aparecer.

Sometimes, The New York Girl is part of The Old School. Yes, in literal sense :)

sexta-feira

Nota 10 não é nada cool

Ter “A” no boletim, estudar para provas, acertar as perguntas de um professor, receber elogios por trabalhos bem feitos não são mais conquistas admiradas e almejadas por considerável parte da juventude. Transviada? Não. Apenas tentando encontrar o próprio caminho, como tantas outras gerações, desde os primórdios da história. Mas nos tempos modernos e tecnológicos de nosso parvo mundo, moças e rapazes têm como espelho celebridades instantâneas, não mais as grandes mentes que mudaram a humanidade. Estudantes com bom desempenho são agora alvo de chacotas e brincadeiras de mal gosto. O bullying, como se diz, vem levando os pequenos e esforçados gênios de nossas instituições a sentirem-se humilhados e reprimidos. Seu rendimento e auto-estima provavelmente caem. Sem falar nas tantas outras conseqüências acarretadas por esse novo modo de pensar. Não é hora de nos perguntarmos sobre onde perdemos a linha tênue do bom censo?


Na modernização mundial encontramos a resposta. Tecnologia, globalização, interação.  Praticamente benéficos em sua totalidade, os fenômenos que “transformaram um mundo numa só nação” (há controvérsias – e muitas!) podem ser julgados como “vilões” dessa nova linha de pensamento que tomou conta dos jovens. Consumir é o lema estampado nas faces e bolsos de cada um e os padrões de beleza e comportamento impostos pela mídia a partir dos anos 60 (quando surgiu, por exemplo, a idéia de que a mulher precisa ser magra para ser bela), de mãos dadas com o primitivo American Way Of Life, transformaram a sociedade em um grande cartão de crédito ambulante, que segue tendências e mais tendências. Assim, os jovens, como disseminadores de doutrinas e donos da sede revolucionária desde que o mundo é mundo, não poderiam deixar de servir como reflexos de um novo sistema. Celebridades e sub-celebridades instantâneas, elevadas à um irracional patamar de adoração, são modelos a serem seguidos. O “lance” é parecer descolado. Ser inteligente, esforçado, empenhado? Isso é arcaico! A regra há pouco ditada consiste em agir como autoconfiança. Meninas devem ser perfeitas líderes de torcida enquanto os garotos dão vida à bad boys garanhões. Inspirados, é claro, em seus programas de televisão e filmes favoritos. Recentemente, em entrevista a uma rede de TV americana, Lady Gaga declarou que antes de compor, fuma maconha e bebe uísque, mesmo ciente de sua influência sobre a juventude (nada contra a Gaga).

Há , portanto, o alerta para que se tome cuidado (a que ponto nós chegamos!) com o tratamento que aqueles que possuem melhores notas e desempenho recebem nas escolas. Apenas precaução, para que não cresçam complexados e crentes que o mundo não aplaude pessoas inteligentes. Obviamente, não se espera que crianças conversem sobre a colonização do Brasil a durante o intervalo da escola. Embora eu ainda considere brilhante e admirável - e sonhe com um garoto que, ao puxar conversa, diga: “sabe, eu andei lendo sobre a Guerra Civil Americana...” Se eu me casaria com ele? Preciso responder?

The New York Girl wanted to be a cheerleader. But she's just an unpopular girl who likes to read about American Civil War.

terça-feira

Hoje vai ser uma festa! Bolo e guaraná, muitos doces pra você...

Hola, queridos lectores!
Quem sabe que dia é hoje levanta a mãozinha. Podem ter certeza: para que minha saudação seja em espanhol à là google tradutor, a data precisa ser pra lá de especial.
Sem mais rodeios, eu lhes digo: 24 de maio é quando nossa Española assopra as velinhas! YAY!
Portanto, para comemorar o cumpleaños da nossa geminiana preferida, eu bem que tentei fazer um vídeo - com placas, coisas lindas, emocionantes, bregas e tal. Mas como minha paixão é voltada para as palavras e não para a informática, nada melhor que um monte delas para dizer o quanto essa vampirinha é importante - não só na minha vida.
Tudo bem que a gente não se entendia. Mas chegou uma hora em que percebemos uma na outra madrinhas em potencial para nossos futuros filhos - ou melhores amigas, chamem do que quiserem.
E foi enfim que vi naquele garotinha uma pessoa com quem podia contar - rir gargalhadas que acordam a vizinhança inteira, escrever coisas inúteis e cartas futuristas, falar sobre Twilight e alguns detalhes, cantar One And The Same, montar cabaninhas na sala de casa que mais parecem um abrigo do MST para assistir De Repente 30, sonhar e brigar também. Porque quem a conhece pode afirmar: não há tempo ruim para a Española. Bem, pelo menos quase nunca - e nem a mais estúpida prova de matemática consegue tirar o sorriso de seu rosto.
Não se sabe o que é um ombro amigo até se conhecer a Lavi. Não há uma noção exata de felicidade até rir com ela pelo telefone. Não há consolo maior após uma briga com sua mãe do que desabafar com a Española. Não há nada mais adolescente do que conversar com ela até tarde nas férias sobre garotos - e futuros maridos. Além do óbvio: não há melhor meio para se obter informações sobre a Espanha. So I don't give life a damn because I got a friend yet! 
Absolute truth :p
Ah, por acaso eu já mencionei a festa de arromba em Barcelona hoje? Não? Oh. Caso ouçam falar sobre algum super hiper mega big ultra power extra master evento acontecendo agora do outro lado do Atlântico, não se impressionem - é só a homenagem que a o país faz para nossa Española.
Que estas 14 primaveras sejam então apenas o começo. O início de tudo, toda uma vida pela frente. Cante, ria, chore, corra, dance, aventure-se, grite, ame, odeie, emocione-se, gaste, faça e sinta tudo a que tem direito. Isso tudo passa tão rápido que daqui a pouco estaremos nós duas a tricotar enquanto dividimos a notícia de que Lívia e Helena nos darão bisnetos. Ouça a voz da experiência, já que sou quatro meses mais velha.
E nunca se esqueça: em caso de quedas bruscas, jamais lhe acompanharei - estarei lá embaixo para te segurar. Amo você, minha amiga de 14!

P.S.: eu sei que você conhece essa música, Selly :)

The New York Girl is dressing for the Española's party. Yay, her jet has just arrived to take her to Spain.

domingo

Mães...

Que te carregaram no colo, te amamentaram, tiveram a devida paciência, te educaram, te ajudaram... O que seriam de nós sem as mães?
Devemos tanto a elas, não é mesmo?
QUE TODAS AS MÃES TENHAM TIDO UM DIA MAGNÍFICO HOJE!! E que tenham ganhado lindos presentes. Que tenham recebido muito amor e carinho de seus filhos, pois elas merecem!
Haha, esse dia das mães aqui em casa foi super divertido!! Minha mãe caiu muito no que eu disse (não ia ter presente) e quando apareci com o embrulho ela deu aquele sorrisão! Foi ótimo!
E, vocês, deram aquele super-beijo na mamãe e as fizeram sentir a melhor do mundo?
Un gran besito,
La hija española.
"Deus não pode estar em todo lugar, por isso, criou as mães" - Ditado judaico colocado no cartão da melhor mãe do mundo! A minha mãe!

Coelhinho da páscoa que trazes pra mim?

Comam BASTANTE chocolate galera, porque na Páscoa a gente PODE!! Esqueçam a dieta! Também já ouvi dizer que chocolate faz bem à saúde (não sei quem me falou). APROVEITEM!!!!
Feliz Páscoa!!!!!
Que todos sejam bem felizes nesse dia!!!
O nosso blog deseja a todos muita felicidade!!!!

Besos,
La española que no quiero volver al colegio en Lunes...